A influência do manual de oslo na lei 11.196/95 e sua aplicabilidade no setor privado brasileiro

Autores

  • Tatiana Schmitz de Almeida Lopes Faculdade de Tecnologia de Praia Grande
  • Fernanda Schmitz de Almeida Larguesa Faculdade de Tecnologia de Praia Grande

Palavras-chave:

Inovação, Desenvolvimento, Oslo, Lei do bem

Resumo

O presente trabalho busca demonstrar a influência do Manual de Oslo na legislação pátria, e para isso, inicia apresentando os conceitos de inovação e pesquisa e desenvolvimento definidos tanto por instrumentos internacionais como o Manual Frascati e o Manual de Oslo, como no âmbito nacional. A seguir, o trabalho trata da lei do bem e identifica todos os incentivos à inovação disciplinada na mesma, além de mencionar a importância da inovação nas atividades empresariais. Por fim, ressalta os instrumentos de apoio à inovação disponibilizados em nosso país e conclui com a importância da aplicabilidade e utilização da legislação ligada à inovação ser utilizada pelo setor privado brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDREASSI, Tales. Gestão da Inovação Tecnológica. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

ANPEI - Associação Nacional de Pesquisa e desenvolvimento das empresas inovadoras. Disponível em: www.cgee.org.br/atividades/redirect.php?idProduto=5613. Acesso em: 22 de fevereiro de 2013.

ARRUDA, Mauro. Inovação Tecnológica no Brasil. São Paulo: ANPEI, 2006.

CAMPOS, Diego Araujo; TAVORA, Fabiano. Direito Internacional. São Paulo: Saraiva, 2012.

CAPARROZ, Roberto. Comércio Internacional. São Paulo: Saraiva, 2012.

CAVALCANTI, Marly. Gestão Estratégica de Negócios. 2.ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

CONSELVAN, Jussara Seixas. Contratos de Pesquisa e Desenvolvimento de tecnologia e os limites na autonomia privada. Tese de Mestrado – Universidade Estadual de Londrina, Paraná, 2009.

FINEP - Financiadora de estudos e projetos. Agência Brasileira de Inovação. Disponível em: http://www.finep.gov.br/o_que_e_a_finep/conceitos_ct.asp#indiceP. Acesso em: 09 de março de 2013.

IPEA - Instituto de Pesquisa econômica aplicada. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/desafios. Acesso em: 05 de fevereiro de 2013.

IRANI, Cavagnoli. Gestão e Inovação: Porque as empresas devem inovar?Disponível em: www.cavagnoli.com/irani/?p=894. Acesso em 10 de janeiro de 2013.

KOHL, André; ZONATTO, Vinicius. Importância e impacto do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para a empresa Alfa S/A. Disponível em: http://www.aedb.br/seget/artigos11/55014675.pdf. Acesso em 08 de março de 2013.

MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia. Disponível em: www.mct.gov.br. Acesso em 15 de Janeiro de 2013.

OECD. Frascati Manual. Paris, OCDE, 1993, cap.2, pag.29.

SEBRAE. Cartilha Gestão da Inovação – novembro de 2010. Disponível em: http://www.ipdmaq.org.br/Portal/Principal/Arquivos/Downloads/Documentos/DETI/Cartilha%20Gestao%20Inova%C3%A7%C3%A3o%20CNI.pdf. Acesso em: 28 de fevereiro de 2013.

TIGRE, Paulo Bastos. Gestão da Inovação: A economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

Publicado

2013-10-01

Como Citar

LOPES, T. S. DE A.; LARGUESA, F. S. DE A. A influência do manual de oslo na lei 11.196/95 e sua aplicabilidade no setor privado brasileiro. Revista Processando o Saber, v. 5, n. 1, p. 25-39, 1 out. 2013.

Edição

Seção

Tecnologia em Gestão Empresarial